Pyong Lee: empreendedor de sucesso e mente inabalável

Para a maior parte das pessoas, a mágica e a hipnose são dois temas misteriosos, mas para Pyong Lee, se tornam mais claros. Suas habilidades lhe renderam frutos com números impressionantes com o passar do tempo, construindo uma história de sucesso reconhecida por muitos espectadores Brasil afora.

Descendente direto de imigrantes sul-coreanos, o hipnólogo nasceu em São Paulo e se inspirou em seus avós, tios e pai que buscaram a melhoria de vida ao se mudarem para o Brasil. Suas raízes lhe influenciaram a nunca parar de sonhar e ser grato por todos os momentos bons e ruins.

Que tal pedir um vídeo personalizado do Pyong Lee para gerar resultados para a sua empresa e impactar seus clientes e colaboradores? Clique aqui veja como é fácil contar com a Polen Para Empresas.

Uma infância turbulenta 

Hoje com 29 anos, Jaime Young-Lae Cho (nome de registro de Pyong Lee) é o primogênito dos seus irmãos Felipe e Tiago e relembra a infância em São Paulo com muita felicidade, apesar das dificuldades. Seus pais se conheceram no Brasil e enfrentaram momentos que marcam até hoje a vida do youtuber.

Ao lado dos irmãos, teve uma infância cheia de boas lembranças das idas à praia e passeios de patinete. Seu pai era mestre de artes marciais e professor de natação e sempre dividiam a piscina nadando juntos. 

Aos 9 anos, o pai de Pyong Lee já tinha a sua própria loja de roupas e tecidos em sociedade com seu tio e a vida estava em sintonia, até que a família inteira foi impactada por um acontecimento: o abandono da mãe. Em sua última lembrança, relembra que os pais estavam em uma discussão até que ela saiu e não voltou mais.

Esse acontecimento combinado à falência da loja, resultou na depressão de seu pai, que acabava descontando os problemas na bebida, o qual ficou sem estímulo para fazer nada. “Era como se ele tivesse perdido o brilho”, lembra.

A esperança de uma vida melhor

Em pouco tempo, seus avós paternos perceberam a mudança de comportamento do filho e levaram Pyong e seus irmãos para viver sob suas supervisões. Como não falavam português muito bem e tinham agora que sustentar a família inteira, muitas vezes trabalhavam mais de 13h por dia na indústria têxtil.

Alexandre, o tio de Pyong, resolveu assumir ele seus irmãos, já que seu pai estava depressivo e os avós trabalhavam exaustivamente, integrando-os à sua família e seus dois filhos.

Para ajudar com as despesas básicas, agora com cinco garotos em fase de crescimento para alimentar, o tio logo tratou de arrumar um emprego para Pyong, com apenas 12 anos. E foi em uma imobiliária, ganhando R$ 60 por mês que o mágico teve a sua primeira experiência profissional.

Daí em diante, tomou gosto pelo trabalho e além do ramo imobiliário, já atuou com manutenção de computadores, gerente de gráfica e copiadora, escritório de programação e aula de coreano, essa última, despertou um novo interesse no garoto: o ensino.  

Da perda, um motivo para vencer

Com 12 anos, o pré-adolescente passou por um dos problemas mais dolorosos da sua vida. Ao visitar seus avós na volta do colégio, o artista encontrou o pai acamado com complicações do alcoolismo.

“Fui ao quarto falar com ele e o vi de cama, magro e frágil, mas ainda conseguia falar. Perguntei se estava tudo bem e ele me respondeu que “sim”. Eu não sabia que eu estava me despedindo do meu pai.”

Em 2005, seu pai veio a falecer com o fígado muito debilitado à espera de um transplante. 

Sem estímulo e passando por um momento delicado, o mágico conheceu e encontrou na dança uma paixão. Nela, Pyong não precisava de ninguém para executar os passos com excelência, apenas da sua própria dedicação.

Na adolescência, surgem alguns objetivos de vida e foi nos corredores do colégio, conversando com as pessoas, que descobriu que chamar a atenção delas o encantava. Assim, entrou para o teatro e chegou a interpretar o João Grilo na clássica peça O Auto da Compadecida.

Para melhorar seu histórico escolar e mudar de vida, passou em uma prova para bolsista numa instituição melhor. E o sonho de ser alguém conhecido, ascendeu ainda mais dentro de si, buscando novas maneiras de alcançar seu objetivo.

A mágica na vida de Pyong Lee

No 2º ano do Ensino Médio, o estudante conheceu a arte da mágica e ficou fascinado. Para se aperfeiçoar e entender as técnicas, estudava noite e dia sobre o assunto seja onde fosse: em casa ou na escola.

Para treinar e mostrar tudo o que aprendia, Pyong começou a fazer apresentações durante os intervalos das aulas para os colegas e se tornando popular por isso, com tudo indo bem, um dia acabou dando errado! A direção pegou seu material e chamou seu tio Alexandre para falar que o sobrinho estava com um baralho – que remete aos jogos de azar e apostas – nas dependências do colégio.

Ao chegar em casa, o mágico teve todo o seu material destruído pelo tio que disse que “mágica não dava dinheiro”. Ainda assim, não desistiu e continuou dançando e fazendo mágica, o que lhe proporcionou muitas experiências na mídia.

Com o seu show de ilusionismo, o Youtuber teve a primeira vez em rede nacional no Programa do Silvio Santos, um dos seus maiores ídolos.

Desse momento em diante, passou por programas como convidado para se apresentar, dentre eles: o Programa da Eliana, Programa do Ratinho e Hebe

Sem falar em sua vitória no famoso quadro do antigo Programa do Faustão, o “Se Vira Nos 30”.

Pyong sentia nesse momento da sua vida o gostinho de “sonho realizado” revezando-se entre as participações e os estudos, até que um dilema começou a rondar a sua cabeça: com os seus amigos seguindo em diversas áreas profissionais ao terminarem o colégio colégio, o jovem passou a se questionar se mágica realmente lhe proporcionaria algum futuro promissor.

Uma pausa no sonho

Por conta de seus traumas familiares, a falta de recursos se tornou algo que causava pânico em Pyong Lee, o tornando obsessivo por ganhar dinheiro. Para não viver na instabilidade pensando em um futuro confortável, resolveu cursar direito.

A loja que já não ia muito bem, acabou fechando. Mas o estudante de direito não desistiu e se encarregou de todos os processos para abrir uma mercearia com Alexandre. Agora, ele se via como os avós: trabalhando 13h por dia e dormindo menos de 4h para deixar tudo nos eixos, da vida acadêmica à profissional.

Com isso, as participações nos programas de televisão que já não eram muitas, se tornaram ainda menos frequentes, o afastando mais uma vez do seu grande sonho de ser reconhecido.

O primeiro contato com o YouTube

Mesmo com um tempo tão esgotado, o estudante não desistiu do seu sonho e arrumou uma brecha dentro das poucas pausas que tinha para estudar sobre o novo fenômeno da mídia: o YouTube. Com os seus amigos, criou o seu primeiro canal: o Canal CuboX.

Não tinha como o tema dos vídeos ser outro que não fosse sobre mágica. Apesar do talento, o canal durou apenas 6 meses. Hoje, mais maduro, Pyong entende que o motivo que o fez chegar ao fim foi a sua autossabotagem.

Desestimulado, se formou em direito e continuou trabalhando no ramo imobiliário, tirando sua carteira de corretor de imóveis. Em meio à baixa autoestima, a única motivação para levantar da cama era a imagem batalhadora dos seus avós.

Assim que completou 21 anos, saiu da mercearia que tinha com o tio e foi ajudar a avó que estava trabalhando com confecções, passando horas ao seu lado e a acompanhando todos os dias nas viagens para o interior, transportando sacos enormes de roupas. Pyong teve que ocupar o lugar do seu avô, que havia voltado para a Coreia do Sul por questões de saúde.

Como chefe da casa, agora o mágico havia parado de dar bola para as críticas das pessoas e de se importar tanto com o dinheiro de forma obsessiva, voltando seu olhar para a gratidão em ter momentos como esses que tinha com sua avó.

Já adulto, formado e independente, era a hora de dar um novo passo – ou retomar os passos abandonados em outros tempos.

O retorno de Pyong Lee no Youtube

Foi com uma ligação para o um amigo, que recuperou o seu sonho de aparecer para as pessoas. O produtor o ajudou a pôr em prática seu novo canal que lhe proporcionou o nome que hoje todos conhecem: Pyong Lee.

O Lee, foi um nome artístico que adotou para si e o “Pyong”, um apelido dado pelos seus amigos quando ainda era adolescente, inspirado no nome de um personagem coreano que é representado por uma raposa.

Nesse canal, não apenas a mágica, mas todos os seus talentos foram abordados: a dança, a criatividade e a habilidade com o público. Em apenas 4 meses, o Youtuber já havia somado 100 mil inscritos.

Sonhar pequeno e sonhar grande dá o mesmo trabalho, por isso parei de pensar apenas nos problemas e na falta de dinheiro e foquei em gerar valor para as pessoas

Em meio a tantas coisas boas que o canal no YouTube lhe proporcionou, seus amigos foram umas das mais importantes. Segundo Pyong, conhecer várias pessoas foi o que fez com que aprendesse o significado do crescimento através do poder da conexão e do networking.

A hipnose como instrumento de mudança

Dentre tantas novas e inesquecíveis experiências e conquistas, Pyong descobriu a hipnose, a mais poderosa das suas paixões. Esse talento que foi muito bem estudado e aprimorado, lhe proporcionou a realização do seu sonho de ser, finalmente, reconhecido por muitas pessoas.

Foi através dele que iniciou sua turnê e em sua primeira apresentação, sentiu uma felicidade que há muito tempo não conseguia sentir ao olhar para a plateia lotada e ver a sua avó esperando o espetáculo começar.

Portas abertas através do seu talento

São incontáveis as participações em programas de TV. Pyong Lee já levou seu dom da hipnose para diversos palcos dos maiores canais nacionais. Esse reconhecimento trouxe outras conquistas que ele nunca teria imaginado, como a abertura da sua própria escola e a participação em diversas produções.

Quando criança e adolescente, uma das suas maiores faltas que sentia ao assistir à televisão, quadrinhos e filmes era não  se sentir representado por nenhum personagem parecido com ele. Os estereótipos asiáticos, além de maldosos, não tinham nada a ver com a realidade que ele vivia.

E também foi graças ao seu trabalho árduo que novas gerações não precisarão passar por isso.

No cinema, Pyong atuou na produção “Meus 15 Anos: O Filme“, estrelada pela atriz Larissa Manoela e se tornou personagem da Turma da Mônica, o quadrinho do famoso Maurício de Sousa.

Além disso, seu trabalho com a hipnose lhe proporcionou prêmios, a proximidade com pessoas que sempre admirou no ramo empresarial e do entretenimento, além de diversas viagens com suas palestras e treinamentos.

Em sua própria casa, Pyong organizou uma imersão com diversos empresários de sucesso para ensiná-los sobre o controle e o domínio na mente, tornando-se referência como o “hipnólogo dos famosos”.

A hipnose é o maior poder do ser humano. O incrível poder da mente de explorar todo o seu potencial”.

Suas participações nas atrações televisivas e o sucesso no YouTube levaram Pyong Lee a participar de dois realities shows: o Big Brother Brasil na Globo e “A Ilha”, na Record.

Em suas empreitadas, sempre deu tudo de si, mostrando ao público seu lado mais vulnerável e se afastando da imagem forte e indestrutível que construiu como hipnólogo. 

Com um olhar empreendedor, nas duas oportunidades pôde disseminar a hipnose de forma mais acessível e clara ao público, derrubando os tabus que cercam o tema.

Veia empreendedora e sucesso nos negócios

Além de um canal com mais de 8 milhões de inscritos e o grande sucesso em suas redes sociais, Pyong fundou a Escola Nous, nascida através da missão de ensinar às pessoas a controlarem suas mentes e usufruírem da saúde mental de forma equilibrada, fazendo o uso da hipnose para tratar a depressão e ansiedade.

Esse foi o segundo passo para disseminar a terapia de forma prática e acessível. O primeiro, foi através do seu livro lançado em 2018, “Hipnose: descubra o poder da sua mente ”. O sucesso em vendas, inspirou o hipnólogo a criar a sua empresa.

Neste ano, lançou o evento “Segredos da Mente” ao lado de dois grandes profissionais da área, o neurocientista Gustavo Kobayashi e o hipnólogo Luciano Garcia.

Todas as suas conquistas lhe proporcionaram o título Forbes Under 30, que reconhece jovens que obtiveram sucesso em seus negócios antes dos trinta anos. Não só sucesso, o empreendedor acumula uma fortuna de milhões, a qual conta com mansões, carros e outros bens materiais.

Uma das maiores conquista: Pyong Lee no BBB

Durante o seu confinamento no Big Brother Brasil, nascia o seu primogênito Jake, fruto da união com Samy Lee que hoje está com dois anos de vida. A primeira vez que viu o filho, foi ainda durante o reality e arrancou lágrimas dos espectadores com a reação.

Hoje, Pyong aplica o que acredita também na educação do filho, que já está sendo alfabetizado em três idiomas diferentes, faz natação e estuda em duas escolas para incentivar o desenvolvimento do seu cérebro. 

De infância difícil à uma vida adulta cheia de altos e baixos, o hipnólogo é o exemplo de empreendedor nato que nunca se permitiu desistir dos seus sonhos.

Que tal pedir um vídeo personalizado do Pyong Lee para gerar resultados para a sua empresa e impactar seus clientes e colaboradores? Clique aqui

Compartilhem com amigos, clientes e colaboradores:

Você também irá gostar de ler

Zezé Motta: marcando o coração do Brasil

Nome: Maria José Motta de Oliveira Nascimento: 27/06/1944 Cidade natal: Campos dos Goytacazes (RJ) Papel inesquecível: Xica da Silva, no...

Nany People: 36 anos de carreira e humor de primeira

Com o seu vigor, humor ácido e um leque na mão, Nany People Cunha Santos, a nossa drag do povo,...

Vannessa Gerbelli: a arte no DNA

Vannessa Gerbelli é uma atriz que nasceu em 6 de agosto de 1973, em São Bernardo do Campo. Descendente de...

Deixe seu comentário